2000 Waimiri-Atroari Desaparecidos Durante a Ditadura Militar

Que vivam os Povos Indígenas! Que vivam Bem!

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Câmara Federal irá apurar desaparecimento de indígenas waimiri-atroari durante ditadura militar

[A inclusão na Comissão da Verdade dos massacres ocorridos contra os Waimiri-Atroari é uma vitória histórica contra os crimes cometidos pela Ditadura Militar. A Casa da Cultura do Urubuí continuará a contribuir com as investigações fornecendo documentos históricos que comprovam esses massacres.]

Matéria publicada no Jornal Acrítica
Por Elaize Farias

O desaparecimento dos indígenas nos anos 70 teria causado um impacto significativo na população dos waimiri-atroari.

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal instaurou procedimento para apurar os casos de desaparecimento de indígenas da etnia waimiri-atroari, no Amazonas, nos anos 70. A abertura do inquérito para investigar os desaparecimentos foi requerida na noite desta quinta-feira (12).

A denúncia dos supostos massacres dos indígenas naquela década foi feita pelo indigenista e ex-missionário Egydio Schwade, e
m matéria publicada no último domingo (08), no jornal A CRÍTICA e no portal acritica.com. Egydio morou durante dois anos entre os indígenas waimiri-atroari, onde tomou conhecimento do desaparecimento de aproximadamente 2 mil waimiri-atroari.

Segundo informações da Comissão a decisão de abrir o inquérito foi feita após a leitura da matéria publicada no jornal pelos membros da Comissão de Direitos Humanos.


Ofícios serão expedidos para todas as instituições envolvidas, como Eletronorte, Programa Waimiri-Atroari, Fundação Nacional do Índio (Funai) e indigenistas que atuaram junto aos waimiri-atroari. Após o inquérito, dependendo dos dados apurados, deve ser realizada uma audiência pública.


O desaparecimento dos indígenas teria causado um impacto significativo na população dos waimiri-atroari. No início dos anos 80, a estimativa era de 330 indígenas - no final dos anos 60, esse número era estimado em 3 mil. Além de doenças transmitidas por "brancos" que trabalharam na construção da rodovia BR-174, os indígenas também foram perseguidos por resistirem à construção da estrada.


Na década seguinte, a terra indígena dos waimiri-atroari foi inundada para a construção da Usina Hidrelétrica de Balbina. Um programa de mitigação foi elaborado para responder aos impactos causados na população.

Um comentário:

  1. A Luiza Erundina (PSB/SP), já entrou com um requerimento solicitando “audiência pública para debater a ocorrência do massacre da etnia indígena waimiri-atroari noticiado pelo Jornal ‘A Critica’ do Estado do Amazonas": http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=C324691DD9159386A5740C40A3DE93FE.node1?codteor=984742&filename=REQ+89/2012+CDHM

    ResponderExcluir